Últimas

MXON: A troca de palavras entre a KTM e a Federação Francesa

By on 7 Setembro, 2019

Muito tem sido dito acerca da saída forçada de Tom Vialle do Motocross das Nações. O próprio piloto também já expressou a sua indignação quanto ao facto de lhe ter sido retirada a oportunidade de participar na prova, tudo isto, por causa de um desentendimento entre a KTM e a Federação francesa de Motociclismo.

O director da KTM, Pit Beirer, já se pronunciou também sobre o assunto, dizendo que deveria ser alterada a forma como as federações encaram o Motocross das Nações. Beirer falou em prol do piloto que estaria previsto ter a sua estreia na prova já este mês, sublinhando que tudo aconteceu devido ao desacordo relativamente ao espaço ocupado pelo logótipo da KTM no boné que Tom Vialle deveria utilizar durante o fim-de-semana. Pelos vistos, este problema tem sido recorrente e já afetou diversas equipas no passado.

“As federações têm de ter mais consciência e respeito pelas marcas e equipas de fábrica que trazem toda a sua estrutura competitiva para a prova depois de uma longa temporada. Como fãs, todos ansiamos o MXON. É um evento especial, com uma atmosfera também ela muito especial e uma das maiores audiências do ano para este desporto. E, apesar do facto de termos uma relação fantástica com a grande maioria das federações, não temos qualquer apoio financeiro das mesmas durante toda a temporada”, referiu Pit Beirer.

Para conseguir manter toda a estrutura da equipa, o director da KTM sublinhou que precisa da ajuda dos patrocinadores para poder estar ao mais alto nível. Dito isto, acrescentou que “não é aceitável que as federações apareçam para uma corrida e queiram expulsar os patrocínios. Não é correto quererem ser apenas eles a ditar as regras agora.”

Como resposta às declarações de Pit Beirer, Jacques Bolle começou por dizer: “agradeço ao Sr. Beirer por esclarecer a posição da KTM pois, foi ela que levou à ausência de Tom Vialle da equipa da França para o MXON.” O presidente da Federação Francesa acrescentou ainda que Pit Beirer “não está a ter em consideração a especificidade desta competição, que é entre nações, e está mal informado quanto aos investimentos da FFM. Não é verdade.”

“Lembro ao Sr. Beirer que, entre outros, a equipa Junior KTM França é subsidiada pela FFM em enduro; Tom Vialle, piloto da KTM, é subsidiado pela FFM; um orçamento substancial (cerca de 200 000 euros) é investido anualmente pela FFM para o MXON; a FFM investe fortemente no setor de motocross, no qual o Sr. Beirer não hesita em recrutar pilotos.

Jacques Bolle referiu ainda que não tem produto para vender, exceto a imagem da França, que tem o dever de defender. “No entanto, permaneço ao dispor do Sr. Beirer se ele desejar negociar connosco por um futuro mais sereno.”

Foto: Ray Archer

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!