Últimas

Silk Way Rally, etapa 5: Sam Sunderland – The Marathon Man! Paulo Gonçalves foi 3º

By on 11 Julho, 2019

“É sempre preciso ter um bocadinho de sorte numa etapa maratona, mas não há como negar que Sam Sunderland se empenhou verdadeiramente e deu muito de si para esta vitória. Tendo ganho a primeira parte da etapa ontem, obrigou Sunderland a partir de primeiro e abrir a estrada hoje. Não é a situação ideal…Se abres a estrada, marcas trilhos e deixas rastos que são visíveis para os adversários e dificilmente não és alcançado…Por isso se abrires a estrada e não fores ultrapassado, isso é considerado um feito! Mas se abrires a estrada e mesmo assim ganhares a etapa isso é algo que te faz ganhar o respeito de todos os teus adversários. Mas se também abres a estrada e ganhas o segundo dia, então és o Marathon Man!

Este texto publicado hoje pelos serviços de comunicação da organização do rali, descrevem na perfeição a importância deste resultado de Sam Sunderland e como ele elevou a relevância deste piloto inglês da equipa oficial KTM.

“Espontaneamente na linha de chegada, Paulo Gonçalves comentava: O Sam fez um trabalho fantástico hoje. Claro que há sempre circunstâncias favoráveis que podem dar uma boa ajuda ao resultado. Neste caso o acidente de Joan Barreda (Honda) ao km120 , o piloto que partira de 3º na etapa, pode ter sido um dessas situações. O espanhol vinha de faca na liga, a dar tudo e já estava em primeiro da classificação à passagem no primeiro waypoint. A sua queda não é tão surpreendente assim, Barreda, piloto extremamente rápido, tem tido muitos”azares” destes, em situações em que não deveria falhar, o que o tem impedido de obter melhores resultados. Todos os que o viram acidentado, perderam tempo. alguns pararam mesmo como foi o caso do seu companheiro de equipa Kevin Benavides, que chegou ao local, parou e ficou com Barreda durante alguns minutos. Luciano Benavides que já tinha sido ultrapassado por Barreda também parou. As regras ditam que o tempo perdido na ajuda a pilotos acidentados, deverá ser reposto, pelo que ainda poderão surgir alterações na classificação geral da etapa.

Mas mesmo que isso aconteça, Sam Sunderland continua a aparecer bem na fotografia, estando 13m44s na frente de Luciano Benavides e 17m18s na frente de Kevin, e sabendo que o homem forte da Honda que hoje partia de terceiro, Joan Barreda, está agora fora de jogo…

Á chegada ao final Sam Sunderland prestou as suas declarações: – “Abrir a pista nunca é fácil, os teus perseguidores vão poder seguir os teus rastos, perdendo muito menos tempo em navegação. É uma ajuda inegável que sempre dá vantagem a quem te segue. Esforcei-me por manter um nível alto de rapidez durante toda a prova, mas naquelas zonas muito rápidas, acabas por ficar extenuado pois tens mesmo que estar totalmente focado. A moto esteve excelente apesar de não ter sido assistida ontem à noite. Apenas o pneu traseiro estava bastante desgastado o que te faz perder aderência e tração, mas isso é igual para todos.”

Mas o rali tem muitos protagonistas e candidatos à vitoria, e esta não se conquista num só dia.

Assim no final da etapa, Kevin Benavides foi 2º da geral cedendo 1m33s, o que foi um excelente resultado depois dos problemas de travões do dia anterior que o piloto teve que resolver sozinho. O piloto argentino partiu bem de trás, e apesar de ter que sofrer com o pó dos pilotos dianteiros, acabou por retirar vantagem na navegação e realizou o 2º melhor tempo da etapa.

E em terceiro lugar o nosso fantástico Paulo Gonçalves que faz maravilhas com a sua nova Hero e perdeu apenas 2m47s para o líder, tendo partido de 9º.

Paulo Gonçalves recuperou muitas posições e está agora em 4º da geral

Em seguida classificaram-se as duas Yamaha oficiais com Xavier de Soultrait em 4º e Adrien Van Beveren em 5º. Luciano Benavides em KTM foi 6º e Andrew Short em Husqvarna foi 7º.

Classificações da Etapa 5:

Na classificação Geral da prova, Sam Sunderland lidera destacado, mas Paulo Gonçalves subiu ao 4º lugar, o que o recoloca no centro das atenções, pois nesta provas tudo pode mudar de um momento para o outro.

Classificação Geral após a Etapa 5:

Os concorrentes enfrentarão amanhã a segunda mais longa etapa da prova com 408km, entre Mandalgovi e Dalanzadgad. Mais uma vez encontrarão pistas muito rápidas que atravessam as estepes da Mongólia, com constantes mudanças de direção, o que significa que os pilotos terão que manter-se sempre muito focados no roadbook e não poderão gozar a beleza das paisagens por onde passam… ossos do ofício.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!