EnduroGP: Os altos e baixos do GP da República Checa

By on 21 Setembro, 2019

Uma das grandes figuras do GP da República Checa foi certamente Bradley Freeman. O piloto da Beta Boano Racing tinha muita pressão em cima dos ombros, mas superou o Supertest de sexta-feira, terminando no topo da tabela (apesar de ter partilhado a vitória com Matteo Cavallo, que fez o mesmo tempo), para depois vencer, mas dessa vez, com alguma vantagem. Freeman assegurou assim o Campeonato do Mundo de E1 de 2019 mais cedo e aumentou o seu total de pontos do EnduroGP (10 pontos) antes de seguir para a última ronda, em França, dentro de duas semanas.

Já Alex Salvini teve um fim-de-semana cheio de luta com os seus rivais do campeonato E2. O italiano ficou em terceiro no primeiro dia, atrás de Larrieu e de Joe Wootton, que conseguiu a sua primeira vitória no GP. Salvini regressou para a P1 no domingo, depois de um erro que o atirou para 10º lugar, logo no início da corrida.

Na E3, sem surpresas, Steve Holcombe, terminou com duas vitórias e uma vantagem de 18 pontos, o que o colocou ainda mais perto do título mundial da E3 de 2019. No entanto, na luta pelo título geral, Holcombe precisou de tirar pontos a Freeman e admitiu que não tinha o nível de aptidão física suficiente para igualar o ritmo do líder ao longo do fim-de-semana.

Para Holcombe assegurar o EnduroGP precisa de obter o máximo de pontos em França, com Freeman a terminar em quarto ou inferior em ambos os dias.

Quanto aos pilotos do Troféu Team GB 2019 foi, certamente, marcado um aviso relativamente à boa forma em que se encontram. Freeman, Holcombe, McCanney e Wootton, que irão participar no ISDE, em Portimão, conquistaram os quatro primeiros lugares na geral no sábado, e os três primeiros também no domingo.

A última prova da temporada de 2019 acontece entre 27 e 29 de setembro em Ambert, França.

Foto: Future7Media/Andrea Belluschi

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!