Dakar 2020: Será este o fim da série de 18 vitórias consecutivas da KTM?

By on 14 Janeiro, 2020

Faltam três etapas para terminar o Dakar 2020. Conseguirá a Honda destronar a KTM ao fim de 18 anos de domínio austríaco?

Ricky Brabec pode ser o homem que vai fazer regressar a marca japonesa aos triunfos na mais prestigiada prova de todo-o-terreno mundial. A Honda não vence desde 1989…

Numa entrevista publicada no Offroad Moto antes de começar esta edição, já Rúben Faria – diretor geral da Monster Energy Honda Rally Team – afirmação que Ricky Brabec seria “um forte candidato à vitória deste Dakar”.

O norte americano tem 20m53s de avanço sobre Pablo Quintanilla e 26m43s sobre Toby Price. Qual o segredo de Brabec até agora? Os seus dias maus são menos maus que os dias maus dos seus adversários!u

Traduzindo em números, o piloto da Honda foi até agora 2.º, 12.º, 1.º, 5.º, 4.º, 1.º, 5.º e 4.º em cada uma das etapas. Com uma consistência “à prova de bala”, sempre que Brabec perde tempo para os seus principais adversários, consegue mesmo assim, limitar os danos.

Pablo Quintanilla está moralizado pela vitória na etapa 9 e vai dar tudo por tudo nos três últimos dias para dar o primeiro triunfo no Dakar à Husqvarna. Velocidade não é problema para o chileno. Veremos é se consegue resistir à tentação de ultrapassar demasiado os limites e, com isso, deitar tudo a perder.

Toby Price vai tentar jogar a “cartada” da experiência para, em conjunto com Matthias Walkner e Luciano Benavides (6.º e 7.º atualmente) conquistar a 19.ª vitória consecutiva para a KTM. Não será fácil, sobretudo considerando que a Honda tem pilotos no 1.º, 4.º e 5.º lugar na classificação geral… mas Price foi o homem que venceu o Dakar 2019 com um pulso partido!!!

Dizer que Joan Barreda (4.º a 28m16s do líder) e Jose Ignacio Cornejo 5.º a 29m29s do líder) estão fora da luta pela vitória não seria justo… mas a Honda já parece ter decidido quem vai tentar ganhar o Dakar e, por isso, a prioridade do espanhol e do chileno é ajudar o americano a atingir esse objetivo para a marca da asa dourada.

Uma palavra ainda para Franco Caimi. O único piloto oficial da Yamaha ainda em prova – depois das lesões sofridas por Adrien Van Beveren e Xavier de Soultrait – o argentino subiu hoje ao 8.º posto e está determinado em honrar a marca azul com uma prestação no Top 10.

A fazer uma espetacular prova estão Skyler Howes e Stefan Svitko. 9.º e 10.º respetivamente, o americano e o eslovaco são os primeiros pilotos “não oficiais” na classificação geral à chegada à 10.ª etapa.

Esta quarta-feira disputa-se a especial que vai ligar Haradh a Shubaytah, ao longo de 534 km disputados ao cronómetro. Esta será a primeira parte de uma etapa maratona que contará com 30 quilómetros de dunas na parte final do percurso, e na qual os pilotos só poderão receber assistência de outros competidores.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!