Dakar 2020, Heinz Kinigadner (KTM): “Quando se é projetado a 150 km/h é preciso esperar o pior”

By on 15 Janeiro, 2020

O consultor da equipa KTM falou sobre a possível causa do acidente de Paulo Gonçalves, que perdeu a vida na etapa 7 do Rally Dakar. Segundo Heinz Kinigadner, o piloto português terá sido projectado por uma lomba.

“Nas imagens do acidente é possível ver uma lomba uns 100 metros antes do local da queda. Quando se é projetado a 150 km/h, e temos de assumir que isso aconteceu, é preciso esperar o pior”, explicou Kinigadner, que também já correu no Dakar.

Logo após o acidente, já tinha sido referido por Toby Price, o primeiro a chegar a Paulo Gonçalves, que esta seria uma zona bastante rápida. “Ia a todo o gás quando vi uma moto caída. Nunca é bom quando é em zona de alta velocidade. Ao chegar vi o Paulo no chão. Percebi que era sério, chamei o helicóptero e fizemos tudo o que pudemos, mas não dava resposta, lamentavelmente não dava resposta”, contou o australiano, acrescentando ainda que a etapa foi feita a uma média de 120 km/h.

No entanto, Kinigadner foi um pouco mais longe ao analisar a queda de Paulo Gonçalves. “Falei com o Nani Roma, que me disse estarem anotadas no roadbook lombas de areia naqueles quilómetros. Mas não se podem escrever todas as bossas no livro e ele também me disse que nenhuma justificava abrandar. Portanto, se tens todo o teu peso na moto, uma lomba de 30 ou 40 centímetros pode ter efeitos devastadores. Se não a vires, o ressalto faz saltar as mãos do guiador. O Matthias Walkner já me contou que, em média, vive perigos desses quatro vezes em cada etapa. O Dakar será sempre perigoso”, ressalvou o consultor da KTM.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!