Chad Reed, AMA SX: “Tenho sentido enormes dificuldades”

By on 22 Janeiro, 2020

O piloto já iniciou a sua última época da carreira e começa a refletir sobre o facto de esta ter sido também a última vez em que competiu em Anaheim. No entanto, parece que as coisas não lhe têm corrido da melhor forma.

“Isto tem sido a minha vida. Sempre soube que ia ser difícil, mas é muito mais difícil do que alguma vez imaginei. Às vezes é preciso sermos honestos para nós próprios, e para mim é reconhecer que não é fácil e que esta semana eu não andei nada. Eu não treinei. Tentei colocar-me num melhor estado emocional e senti que isso me ajudou esta semana”.

Depois de um fim-de-semana complicado na prova, o australiano terminou na 18ª posição, resultado este que o deixou bastante desiludido.

“Sinto-me bem em dizer que nunca desisti. Na semana passada, não me senti bem na pista de corridas. Senti-me perigoso e nada seguro. Mal podia esperar para sair da pista. Por mais doloroso que isso seja dizer, é a verdade. Só quero superar isto para poder correr e divertir-me. Ainda acho que consigo. Terminei no pódio no ano passado. Posso ir ao pódio este ano? Quem sabe. Acho que sou capaz de fazer muito melhor do que o 18º lugar, mas preciso de me encontrar novamente na pista. Porém, no geral, esta semana foi uma semana melhor”, disse Chad Reed, fazendo um balanço da sua prestação.

Apesar de todas as dificuldades que enfrentou na sua última Anaheim, o piloto guarda muito boas memórias da prova americana.

“Eu diria que a primeira vitória, obviamente, é sempre especial. Quando imaginamos a nossa primeira vitória em Anaheim, imaginamos que vamos logo para a frente e que será uma das corridas mais fáceis da nossa vida. Portanto, eu diria que, embora tenha sido especial, foi, sem dúvida, surreal. Em Anaheim 2, eu vim talvez de sexto, sétimo, oitavo e passei por todos. Nas duas semanas seguintes voltei e não consegui, mas acho que fui logo para a liderança e liderei as vinte voltas e meia que ganhei desde o início. Então essas duas vitórias foram muito, muito especiais, até porque, nessa altura, eu já tinha 32 anos”.

Foto: AMA Supercross

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!