Dirk Gruebel, Red Bull KTM MXGP: “Ficaria feliz se voltássemos a correr em Julho”

By on 8 Abril, 2020

Dirk Gruebel, Diretor da Red Bull KTM, habituado a um estilo de vida ativo, também se encontra em isolamento social e não poderia estar mais ansioso por regressar ao ritmo das corridas de motocross.

“Voltei para a Alemanha, para a casa dos meus pais. Uma vez que tenho mais a fazer lá e mais liberdade do que na Áustria. Faço muito ciclismo de montanha e algum trabalho de escritório e todos os outros também estão em casa, os pilotos, os mecânicos, todos. A KTM Motorsport está fechada mas mantemo-nos em contacto com eles que, claro, estão bastante aborrecidos”, adiantou Gruebel, ressalvando ainda o quão difícil é para todos os envolvidos não ser possível manter o ritmo ao qual estão habituados.

“Somos todos muito ativos. Todos nós no motocross temos um estilo de vida bastante ativo e acho que nos atinge mais do que à típica pessoa que vai trabalhar das nove às cinco. Para eles também é difícil, mas para nós é duplamente difícil”, explicou o Diretor de equipa da Red Bull KTM.

Como se sabe, este vírus é um duro golpe para o desporto e ainda mais para a economia mundial. Este será um problema que muitas pequenas empresas envolvidas no desporto terão de enfrentar, nomeadamente na produção de motociclos.

“Está tudo encerrado. Estaremos nessa situação até depois da Páscoa, e esperamos que a linha de produção volte a funcionar em Maio, mas por agora estão todos encerrados, pelo que não haverá produção durante seis semanas. Isto acaba por ser positivo, de certa forma, porque não vale a pena produzir motociclos se não se sabe quando é que isto começa de novo e quando é que se pode voltar a vender motociclos. Portanto, é uma boa medida produzir menos do que o planeado”.

Com várias corridas adiadas e nenhuma data à vista, o recomeço do Campeonato do Mundo de Motocross permanece incerto. Dirk Gruebel mantém-se otimista quanto ao regresso às competições mas não acredita que seja possível fazê-lo antes do mês de julho.

“Tudo depende das próximas três ou quatro semanas, mas para um promotor, na Rússia, na Letónia ou em França, acolher uma corrida são precisos dois médicos de urgência, são precisas quatro a cinco ambulâncias e isso é só para lá estar e não sei quem está disposto a fornecer isso neste momento. Poderá ser difícil realizar uma corrida no início. Talvez quando acabarem com o isolamento social e as pessoas possam voltar a circular, e os pilotos possam recomeçar a andar de moto, porque não se podem preparar para as corridas sem o fazer, as coisas comecem a melhorar É difícil prever, mas eu ficaria feliz se voltássemos a correr em julho, mas isso é ser optimista”.

O Diretor de equipa da Red Bull KTM tem mantido contacto com os pilotos que, ao que parece, não têm pilotado as suas motos. No entanto, apesar desse impedimento, têm tentado ao máximo manter a forma física para que possam estar em relativamente boa forma quando as corridas recomeçarem.

“Tenho mantido algum contacto com os pilotos. O Jeffrey é um tipo super ocupado e está a lutar contra a vontade de pegar na moto. Eles precisam de manter um certo nível de fitness porque não sabemos quando vamos regressar às corridas e precisam de estar minimamente preparados. Nenhum deles está a andar de moto, só o Antonio Cairoli é que o faz de vez em quando na oficina por diversão, mas todos têm cumprido as suas sessões de treino físico, apesar de isso não lhes permitir estar ao mais alto nível”.

_

Foto: Ray Archer

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!