Ano por ano, a impressionante carreira de Paulo Gonçalves!

By on 5 Fevereiro, 2020

No dia do seu 41.º aniversário, recordamos a fantástica carreira do melhor piloto português de todo-o-terreno de todos os tempos. Ano por ano!

1991

12.º no campeonato nacional de Motocross Iniciados

A primeira corrida da sua carreira foi em Avenal (Cadaval) no dia 7 de Abril de 1991. Aos comandos de uma KTM, terminou na 8.ª posição na classe Iniciados.
Logo na prova seguinte, em Barcelos, Paulo Gonçalves mostrou-se mais à vontade e subiu ao 4.º posto.
Participando em apenas 3 das 8 rondas que compuseram o campeonato nacional de Motocross Iniciados, o jovem de Esposende concluiu a temporada no 12.º lugar.

1992

4.º no campeonato nacional de Motocross Iniciados

Participa na totalidade do campeonato e, com uma consistência digna de referência, alcança com o 4.º posto final. Sobe pela primeira vez ao pódio numa prova nacional em Santo Tirso.

Em 1993, Paulo Gonçalves conquistou o primeiro título da sua carreira (Foto: Photo Course)

1993

Campeão Nacional Motocross Iniciados

Vencedor de 5 das 8 provas do campeonato, Paulo Gonçalves alcança o seu primeiro título de campeão nacional.

1994 marcou a estreia de Paulo Gonçalves (33) na cilindrada 125cc
(Foto: Photo Course)

1994

6.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Sub 18
10.º no campeonato nacional de Supercross Absoluto
21.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Open

No seu primeiro ano de sénior, Paulo Gonçalves deu nas vistas ao terminar o campeonato de Sub 18 com um pódio na última ronda. Foi também o seu ano de estreia no Supercross. Apesar da sua baixa estatura, o piloto de Gemeses era um lutador nato e, na sua primeira prova de sempre desta modalidade, alcançou um excelente 7.º posto em Poutena.

Em 1995, Paulo Gonçalves já dava nas vistas pela sua determinação dentro de pista
(Foto: Photo Course)

1995

4.º no campeonato nacional de Supercross Absoluto
5.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Open
6.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Sub 18

Com apenas 16 anos de idade, Paulo Gonçalves teve um excelente ano de 1995, terminando todas os campeonatos em lugares de destaque.
Alcança dois pódios na classe 125cc Sub 18 e, no Supercross, quase que repete essa façanha em Quintiães, prova que concluiu na 4.ª posição.

1996

3.º no campeonato nacional de Supercross Absoluto
3.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Open
3.º no campeonato nacional de Motocross 125cc Sub 18

Naquele que seria o seu último ano com a estrutura da MGB Suzuki, Paulo Gonçalves mostrou definitivamente que tinha “calibre” para discutir o título de campeão nacional em qualquer categoria.
Nos campeonatos de Motocross, alcança 8 pódios em 10 provas. No Supercross, terminar como o melhor representante da cilindrada 125cc e regista dois pódios na temporada, um na Maia e outro em Marinhais.

Em 1997, Paulo Gonçalves (91) estreia-se a representar Portugal no Motocross das Nações
(Foto: Manuel Gomes)

1997

Campeão Nacional Supercross Absoluto
Campeão Nacional Motocross 125cc Open
Campeão Nacional Motocross 125cc Sub 18
Vice-campeão Nacional Motocross 250cc

1997 marca o ano em que Paulo Gonçalves passou a integrar a equipa da Honda Motogomes e os resultados não se fizeram esperar… 3 títulos de campeão nacional em 4 campeonatos!
Das 23 provas em que participou, venceu 13 e subiu ao pódio em 21.
Foi neste ano que passou a ser o “Speedy Gonçalves”!

Em 1998, Paulo Gonçalves ascendeu à cilindrada 250cc a tempo inteiro
(Foto: Manuel Gomes)

1998

Campeão Nacional Motocross 250cc
Campeão Nacional Supercross Absoluto

Vencedor do Troféu Nacional Supercross 250cc
3.º no campeonato Europeu Motocross 250cc

Na sua primeira temporada inteiramente dedicada à cilindrada 250cc, Paulo Gonçalves destrona Luís Serra do seu lugar de n.º 1 em Portugal, vencendo os campeonatos de Motocross e Supercross.
Mais uma vez, triunfou na maioria das provas em que participou, mais precisamente 15 em 23.
A nível internacional, efetua uma fantástica campanha no Europeu de Motocross 250cc e alcança o 3.º lugar final.

Apesar de ter sofrido algumas lesões em 1999, Paulo Gonçalves renovou o título em MX 250cc
(Foto: Manuel Gomes)

1999

Campeão Nacional Motocross 250cc
2.º no Troféu Nacional Supercross
4.º no campeonato nacional Supercross Absoluto
11.º no campeonato europeu Motocross 250cc

9.º no campeonato nacional Enduro Consagrados 125cc

1999 foi um ano marcado por algumas lesões que impediram que Paulo Gonçalves lutasse pelo título de campeão nacional de Supercross. Ainda assim, o minhoto renovou a coroa de Motocross 250cc.
Estreou-se no Nacional de Enduro com um 2.º lugar em Oliveira do Hospital para, de seguida, vencer em Ourém na classe 125cc.

Em 2000, Paulo Gonçalves sagra-se vice-campeão europeu de Motocross 250cc
(Foto: Manuel Gomes)

2000

Campeão Nacional Motocross 250cc
Campeão Nacional Motocross Absoluto
Vice-campeão Europeu Motocross 250cc
3.º no campeonato nacional Supercross

5.º no campeonato nacional Enduro 250cc 2T
7.º no campeonato nacional Enduro Absoluto

No ano que marcou o início do novo século, Paulo Gonçalves estava determinado em ser Campeão da Europa de Motocross 250cc. O “Speedy” lutou muito por esse objetivo mas, mesmo assim, deu a Portugal a melhor classificação de sempre de um luso neste campeonato.
A nível nacional, foi o primeiro campeão Absoluto de Motocross na história da FMP e alcançou o tricampeonato de MX 250cc. Consegue também a sua primeira vitória no Nacional de Enduro Absoluto na Lousã.

Em 2001, Paulo Gonçalves faz a sua estreia em provas de Todo-o-Terreno
(Foto: Manuel Gomes)

2001

Campeão Nacional Motocross Absoluto
Campeão Nacional Motocross 250cc
Vice-campeão nacional Supercross
2.º lugar na Baja Telecel 1000

8.º lugar por Portugal no Motocross das Nações

Paulo Gonçalves renovou os títulos de campeão no Motocross mas perdeu o campeonato de Supercross por apenas 1 ponto para o seu colega de equipa, Sandro Marcos.
Na sua estreia em provas de Todo-o-Terreno, conquista um fantástico 2.º lugar na Baja Telecel 1000 atrás de Hélder Rodrigues.

Em 2002, torna-se o primeiro piloto a vencer um campeonato nacional de Motocross com uma 450cc 4T
(Foto: Rodrigo Castro)

2002

Campeão Nacional Motocross 250cc
Campeão Nacional Motocross Absoluto
Campeão Nacional Supercross Absoluto
Campeão Nacional Enduro 4T +250cc
Vice-Campeão Nacional Enduro Absoluto
2.º lugar por Portugal nos ISDE (Troféu Júnior)

2.º lugar na Baja Portalegre

Em 2002, Paulo Gonçalves faz a sua primeira temporada completa no Enduro e conquista o primeiro título nesta modalidade.
Além disso, faz o “penta” no Nacional de MX 250cc e recupera a coroa de Supercross Absoluto.
A nível internacional, sagra-se vice-campeão do mundo por equipas nos International Six Days Enduro ao lado de Hélder Rodrigues, Sandro Marcos e Valter Martins.

2003 foi o seu primeiro ano como piloto de fábrica da Gas Gas no Mundial de Enduro

2003

Campeão Nacional Enduro 4T +250cc
Vice-Campeão Nacional Enduro Absoluto
9.º no campeonato mundial Enduro 450cc 4T

Em 2003, Paulo Gonçalves dedica-se a 100% ao Enduro depois de assinar um contrato como piloto de fábrica da Gas Gas. Pela primeira vez, disputa a totalidade do campeonato Mundial da especialidade.
Consegue o seu segundo título de campeão nacional de Enduro na classe 4T + 250cc e termina atrás de Hélder Rodrigues no campeonato Absoluto.

Em 2004, Paulo Gonçalves vence o Nacional de Enduro e ainda aparece no Motocross para animar o campeonato
(Foto: Jorge Ró Jr.)

2004

Campeão Nacional Enduro 250cc 2T
Vice-Campeão Nacional Enduro Absoluto
Medalha de Ouro nos ISDE
3.º no campeonato nacional Motocross 250cc
3.º no campeonato nacional Supercross Absoluto
3.º no campeonato nacional Supercross 250cc

Ainda com a Gas Gas, Paulo Gonçalves alcança mais um título de campeão nacional de Enduro. Consegue fazer várias provas de Motocross onde mostra que “quem sabe nunca esquece”.

Paulo Gonçalves voltou à Honda em 2005 pelas mãos de Paulo Marques
(Foto: Jorge Ró Jr.)

2005

Campeão Nacional Enduro 450cc
Vencedor da Baja Vodafone 1000
Vice-campeão Nacional Enduro Absoluto

Vice-campeão Nacional Supercross Absoluto
Vice-campeão Nacional Supercross 250cc
Medalha de Ouro no ISDE
8.º lugar por Portugal no Motocross das Nações

De regresso à Honda em 2005 na equipa do mítico Paulo Marques, Gonçalves vence todas provas da sua classe no Enduro e termina apenas a 9 pontos de Hélder Rodrigues no campeonato Absoluto.
Consegue realizar a totalidade do Nacional de Supercross e dá uma forte réplica ao campeão Hugo Santos.
Neste ano, marca pontos no Mundial de Enduro, no Mundial de Motocross em Águeda e ainda representa Portugal nos ISDE e no Motocross das Nações.

2006 foi o ano de estreia de Paulo Gonçalves no Lisboa Dakar

2006

Campeão Nacional Motocross MX2
Vice-campeão Nacional Supercross Absoluto
3.º no campeonato nacional Motocross Absoluto
3.º no campeonato nacional Supercross SX2
14.º por Portugal no Motocross das Nações
25.º no Lisboa Dakar

Integrado na equipa da Repsol Honda Motogarrano – propriedade do seu sogro Joaquim Rodrigues Sr. – Paulo Gonçalves vence todas as provas do campeonato nacional de MX2!
Depois de representar Portugal no Motocross das Nações, lança-se no seu primeiro Dakar e consegue chegar ao fim na 25.ª posição.

Paulo Gonçalves recuperou os títulos de Supercross em 2007

2007

Campeão Nacional Supercross Elite
Campeão Nacional Supercross SX1

3.º no campeonato nacional Motocross Elite
3.º no campeonato nacional Motocross MX1
23.º no Lisboa Dakar

Num ano dedicado em exclusivo ao Motocross e Supercross, Paulo Gonçalves recupera o título de SX Absoluto que já não era seu desde 2002.
No seu segundo Dakar, sobe mais alguns degraus e corta a meta na 23.ª posição.

Em 2008, Paulo Gonçalves renovou os títulos de campeão nacional de Supercross
(Foto: Jorge Ró Jr.)

2008

Campeão Nacional Motocross MX1
Campeão Nacional Supercross SX1
Vice-campeão Nacional Supercross Elite

Paulo Gonçalves recuperou em 2008 o título de campeão nacional de MX1 que não era seu desde 2002. Renova a coroa de SX1 mas perde o número no Supercross Elite para o espanhol Roman Perez.

2009 foi o primeiro ano em que Paulo Gonçalves alcançou um Top 10 no Dakar

2009

10.º no Rally Dakar (Argentina Chile)
2.º na classe 450cc no Rally Dakar (Argentina Chile)
Vencedor da classe Super Produção no Rally Dakar (Argentina Chile)
3.º no campeonato nacional
TT2
4.º no campeonato nacional TT Absoluto

Faz o Dakar com a Honda da sua própria estrutura e consegue um lugar no Top 10 pela primeira vez, apenas na sua terceira participação.
Depois do Dakar, muda-se para a BMW na equipa de Pedro Bianchi Prata e compete em algumas provas do Nacional de Enduro, nas quais alcança dois pódios na classe Elite 2.
Também a nível "doméstico" disputa o campeonato de Todo-o-Terreno e regista uma vitória no segundo dia do Raid TT do Marco.
Apesar das expectativas em alta depois do resultado do ano anterior, Paulo Gonçalves foi forçado a abandonar no Dakar 2010
(Foto: Gabriel Bouys/AFP)

2010

Campeão Nacional TT3
4.º no campeonato nacional TT Absoluto
Vice-Campeão Nacional de Cross-Country

Abandono à 6.ª etapa do Dakar (Argentina Bolívia Chile)

No seu segundo ano com a BMW, conquista o seu primeiro título de campeão nacional de Todo-o-Terreno. No recém-criado campeonato de Cross-Country, termina em 2.º atrás de Luís Ferreira.

No Dakar de 2011, Paulo Gonçalves estreou-se a vencer uma etapa nesta mítica prova

2011

Campeão de Cross-Country na Alemanha
4.º no campeonato nacional TT3

No Dakar, ainda com a BMW, venceu a 6.ª etapa mas foi obrigado a abandonar na 8.ª.
Na sua estreia com a Husqvarna, Paulo Gonçalves participa em algumas provas do campeonato nacional de Todo-o-Terreno e vence a classe TT3 na Ferraria e em Góis, provas em que também subiu ao pódio na classe Absoluto.

Paulo Gonçalves foi 4.º classificado no Mundial de Rallies Cross Country em 2012

2012

4.º classificado Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno
26.º classificado Rali Dakar Argentina Chile Peru

Paulo Gonçalves conquistou em 2012 o seu primeiro pódio no campeonato mundial de Rallies Cross Country e concluiu o Dakar na 26.ª posição.

Campeão do Mundo de Rallies Cross Country em 2013!

2013

Campeão do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno
10.º classificado no Rali Dakar Peru Argentina Chile

Em 2014 Paulo Gonçalves vou a sua moto arder em pleno deserto na 5.ª etapa do Dakar

2014

Vice-Campeão do Mundo de Rallies Cross Country
Abandono à 5.ª etapa do Dakar (Argentina Bolívia Chile
)

Em 2015 conquista o seu melhor resultado de sempre no Dakar – o 2.º lugar atrás de Marc Coma
(Foto: Alejandro Pagni/AFP)

2015

3.º classificado Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno
2.º classificado no Rali Dakar Argentina Bolívia Chile

Paulo Gonçalves venceu uma etapa no Dakar 2016 mas teve de abandonar na 11.ª etapa
(Foto: Facebook Paulo Gonçalves)

2016

Abandono à 11.ª etapa do Rali Dakar Argentina Bolívia (Vitória 1 Etapa)

2017 marca o ano do seu segundo melhor resultado
no Dakar – o 6.º posto
(Foto: Facebook Paulo Gonçalves)

2017

6.º classificado no Rali Dakar Paraguai Bolívia Argentina

2018

Uma lesão sofrida em data muito próxima do Dakar deixa-o de fora desta prova pela primeira vez desde 2008.

Na sua última participação com a Honda, Paulo Gonçalves abandonou o Dakar 2019 devido a queda na 5.ª etapa
(Foto: Honda)

2019

Abandono à 5.ª etapa do Rali Dakar Perú

Mudou o motor da sua Hero na 3.ª etapa e perdeu mais de 6 horas, chegando ao acampamento às 20.30h… mas nunca desistiu!

2020

12.º na etapa 1 do Dakar (Arábia Saudita)
13.º na etapa 2 do Dakar (Arábia Saudita)
127.º na etapa 3 do Dakar (Arábia Saudita)
4.º na etapa 4 do Dakar (Arábia Saudita)
10.º na etapa 5 do Dakar (Arábia Saudita)
8.º na etapa 6 do Dakar (Arábia Saudita)

Até sempre, Speedy!

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!