Gautier Paulin, MXGP: “Não faz sentido termos o Motocross das Nações a meio da época”

By on 10 Abril, 2020

Continuam a ser canceladas provas atrás de provas devido ao surto de coronavírus. O piloto de MXGP, Gautier Paulin está, como a grande maioria das pessoas, em isolamento mas, para si esse não parece ser um problema.

“Tenho tudo o que preciso para me manter em forma e para treinar em qualquer situação, quer seja dentro ou fora de casa. Ainda posso continuar o meu treino físico completo, mas preciso de adaptar tudo porque sou uma pessoa que adora fazer desporto no exterior tanto quanto possível, e sou assim desde criança”, afirmou o piloto de 30 anos, acrescentando ainda que, tirando o facto de não poder ver a família, o isolamento não difere muito daquilo que costuma fazer quando não está em competição.

Ao contrário da maioria dos outros desportos motorizados, o MXGP conseguiu completar com sucesso duas rondas da temporada de 2020. “Eu vi isto a chegar mas não pensei que se tornasse numa grande pandemia como esta, pois ninguém poderia imaginar isto. No entanto, antes de partir para o Grande Prémio de abertura, disse à minha mulher para garantir que tínhamos tudo o que precisávamos para o bebé em caso de emergência, porque estamos sempre a viajar para todo o lado e no caso de ficarmos presos em algum lugar eu queria ter a certeza de que teríamos tudo o que era necessário”, revelou Gautier Paulin.

A Infront Moto Racing, a promotora do Campeonato do Mundo de Motocross, está continuamente a acompanhar a situação e a ajustar o calendário sempre que possível. Tal como se encontra, ainda restam 18 rondas com a época a prolongar-se até Novembro. O novo calendário inclui agora seis Grandes Prémios consecutivos em Julho. “O plano agora vai ser correr seis Grandes Prémios seguidos e oito num período de tempo bastante curto e isto nunca tinha acontecido antes. A forma como a equipa vai lidar com isto, especialmente com a época a terminar na Argentina ou na Indonésia ou em locais como este, vai ser algo realmente diferente”, avançou Paulin.

O novo calendário também vai assistir ao maior e mais espectacular evento de motocross do ano, o Motocross das Nações, que terá lugar a meio da época. No entanto, o piloto francês parece não estar de acordo com esta decisão.

“Para mim, não faz sentido termos o Motocross das Nações a meio da época. Foi sempre no final da época e o evento é como um grande presente para todos os que gostam de motocross. Celebramos o final da época provando qual a nação que tem os melhores pilotos”, sublinhou Gautier Paulin.

“Tenho uma moto que adoro, por isso, voltar a a ela não será, certamente, um problema. Quando pudermos voltar a competir, vou-me concentrar ao máximo. É difícil dizer quanto tempo vai levar para estar a 100% mas, neste momento, a minha maior preocupação é o que vai acontecer se tivermos de ir à Rússia para a terceira ronda, com o vírus ainda a ser uma grande ameaça no mundo. Não estou preocupado em estar pronto para voltar a andar de moto, estou pronto. Estou de folga há mais de um mês, mas estou cheio de motivação porque sei que a minha moto está pronta. A minha principal preocupação é como evitar ficar doente quando começamos a viajar e a correr de novo porque isto vai ser como jogar póquer”, avançou o piloto que parece estar confiante com a sua moto, apesar da paragem forçada a que foi sujeito.

Nestes momentos mais complicados, Gautier Paulin encontra algum conforto junto da mulher e do filho. “Sinto-me muito abençoado por tudo o que tenho neste momento. Todos os meus amigos e família estão a salvo e eu posso desfrutar destes momentos vendo o meu filho crescer. É o melhor presente que já tive e estou incrivelmente grato”.

_

Foto: Instagram Gautier Paulin

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!