Dakar: O percurso da prova na Arábia Saudita

By on 2 Dezembro, 2019

Apesar de a primeira etapa só acontecer no dia 5 de Janeiro, a preparação para o evento tem lugar logo a partir de dia 2 com as verificações, em Jeddah. Esta, que é a segunda maior cidade do país, servirá de ponto de partida para os pilotos e respetivas equipas.

1.ª etapa: Jeddah – Al Wajh (752 km)

Esta primeira abordagem representará uma junção de todos os elementos que caracterizam esta edição: pista rápida, percurso sinuoso, dunas e terreno rochoso.

2ª etapa: Al Wajh – Neom (401 km)

Depois de uma etapa de abertura que não pode ser subestimada, os pilotos partem para uma etapa mais curta, entre Al Wajh e Neom, desta vez com 401 km. Esta será uma etapa tecnicamente mais acessível, porém, será importante ter em atenção as especificidades da navegação saudita. Por esta altura, as motos e os quads terão também a primeira parte da “super maratona”.

3ª etapa: Neom – Neom (489 km)

A terceira etapa acontecerá em Neom e contará com 489 km. Esta propõe uma sucessão de desfiladeiros e montanhas que os pilotos irão explorar sobre um tapete de areia. Nesta etapa especial, o Dakar subirá ao seu ponto mais alto: 1.400 metros de altitude.

4ª etapa: Neom – Al Ula (676 km)

No quarto dia os pilotos parte de Neom para Al Ula, fazendo um percurso de 676 km. Neste dia, irão encontrar passagens de areia e trechos igualmente pavimentados.

5ª etapa: Al Ula – Ha’il (563 km)

No dia seguinte, a caravana do Dakar irá circular entre Al Ula e Ha’il ao longo de 563 km. Uma vez mais, trata-se de uma paisagem arenosa, com rochas particularmente grandes que servirão como ponto de referência para evitar falhas de navegação. Os pilotos terão depois de enfrentar colinas de areia gigantes, ultrapassando descidas vertiginosas, por vezes com alguns arbustos isolados, que exigirão ainda mais atenção na condução.

6ª etapa: Ha’il – Riyadh (830 km)

No último dia antes do descanso, os pilotos sairão de Ha’il em direcção a Riyadh, numa longa jornada de 830 km. Aqui, a mudança de paisagem é radical, com 100% areia e fora de pista. Depois de uma primeira parte bastante rápida, os especialistas em dunas terão alguma vantagem.

7ª etapa: Riyadh – Wadi Al-Dawasir (741 km)

Os pilotos regressam à competição no dia 12 de Janeiro, com um percurso entre Riade e Wadi Al-Dawasir, ao longo de 741 km. O retorno ao trabalho vai apresentar-se difícil, com uma das etapas mais variadas do Dakar.Os pilotos terão, nomeadamente, de enfrentar dunas espalhadas ao longo de toda a rota que deverão ser abordadas ao atravessar pequenas faixas de dunas com vários quilómetros de comprimento.

8ª etapa: Wadi Al-Dawasir – Wadi Al-Dawasir (713 km)

Na oitava etapa da competição, a caravana do Dakar irá deslocar-se para sul, com o circuito a decorrer em Wadi Al-Dawasir (713 km). Neste dia, os participantes percorrerão paisagens de montanha, desfiladeiros e surpreendentes contrastes de cores: pedras pretas sobre areia branca, por exemplo. Os amantes da velocidade no seu estado puro poderão dar rédea solta à sua paixão com um percurso de 40 quilómetros em linha reta que poderão percorrer a toda a velocidade. As faixas de dunas do dia exigirão muita concentração e habilidade por parte dos pilotos.

9ª etapa: Wadi Al-Dawasir – Haradh (891 km)

Esta longa etapa terá como principal fator será a precisão de condução, visto que, desta vez os pilotos terão de passar por terreno maioritariamente duro e algumas zonas mais que exigirão alguma atenção especial.

10ª etapa: Haradh – Shubaytah (608 km)

Com o final da competição a aproximar-se, os pilotos ainda têm alguns desafios pela frente, sendo que o próximo será entre Haradh e Shubayatah. A etapa de maratona exige uma grande capacidade de resistência. A especial da primeira parte envia os pilotos e tripulações para as vastas extensões off-road do Empty Quarter. Quando chegarem ao destino, só a assistência entre concorrentes é autorizada.

11ª etapa: Shubaytah – Haradh (744 km)

Nesta última fase da corrida, quando as posições do topo ainda podem mudar completamente teremos uma etapa de 744 km entre Shubaytah e Haradh. O dia começará com um espectáculo que dura 80 quilómetros, no qual os pilotos terão de atravessar as melhores dunas do país. Será por esta altura que a etapa de maratona chega ao fim.

12ª etapa: Haradh – Qiddiya (447 km)

Chegados à última etapa da prova, Nos últimos cem quilómetros, o traçado poderá trazer algumas dores de cabeça aos pilotos que deverão enfrentar a etapa com a maior serenidade possível. Uma especial de 20 km a acontecer também neste dia, e que não afetará a classificação geral, elegerá o vencedor do “Troféu Qiddiya” pouco antes do pódio final. Este terá lugar no dia seguinte.

Foto: Dakar/ Charly López

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!