Mário Patrão, Dakar 2020: “Foi um recomeço muito duro depois do que aconteceu ao Paulo”

By on 14 Janeiro, 2020

Pela segunda etapa consecutiva, Mário Patrão foi o melhor português hoje no Dakar 2020.

O piloto de Seia concluiu a 9.ª especial da prova na 26.ª posição, naquela que foi também a mais longa desta edição com 886 km.

À chegada, Patrão falou do quão difícil foi a etapa de hoje em termos emocionais: “Esta foi a etapa mais longa e a mais dolorosa de todos os DAKAR. Iniciámos o dia muito cedo, e eu estava muito desconcentrado, perdido. Foi um recomeço muito duro pela morte do Paulo, mas com o passar dos quilómetros acabei por conseguir, aos poucos, encontrar a concentração que precisava. Coloquei uma fita preta no meu braço esquerdo para mostrar a todos o meu sofrimento, e o meu luto, era o que tinha”.

Atualmente na 35.ª posição da classificação geral, o piloto da KTM está já a pensar na 10.ª etapa: “Amanhã é a etapa maratona pelo que tenho uma responsabilidade acrescida, com o facto de ter que efetuar a mecânica nas nossas motos da KTM Factory Racing.”.

A especial vai ligar Haradh a Shubaytah, ao longo de 534 km disputados ao cronómetro. Esta será a primeira parte de uma etapa maratona que contará com 30 quilómetros de dunas na parte final do percurso, e na qual os pilotos só poderão receber assistência de outros competidores.

(Fotos fornecidas por A2 Comunicação)

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!