Motocross: Everts e Smets preocupados com o futuro do MX na Bélgica

By on 30 Novembro, 2019

A Bélgica foi, em tempos, um dos principais países de Motocross do mundo. No entanto, com alguns dos grandes pilotos de topo, como Kevin Strijbos e Jeremy Van Horebeek, a chegar ao fim da carreira, será preciso encontrar a geração que os irá substituir.

Uma das possibilidades é o jovem piloto Jago Geerts que, tudo indica, terá um grande futuro no desporto motorizado. Porém, para além de Geerts e Liam Everts, são muito poucos os belgas a subirem no motocross. Isto deve-se, em grande parte, ao facto de terem sido encerradas inúmeras pistas no país. Sendo que, actualmente, restam apenas seis.

Stefan Everts mostrou-se extremamente desapontado com esta situação, relembrando os velhos tempos.

“Havia tantas pistas aqui e agora vão desaparecer todas. Encerraram-nas todas e isso parte-me o coração, porque há 18 anos que viajo à volta do mundo com a bandeira belga no pódio. O que recebemos em troca agora? Nada”, explicou decepcionado o piloto belga, dez vezes campeão do mundo, que tanto fez pelo desporto nacional.

“Eu tinha a minha própria estátua na minha cidade natal. Tínhamos a nossa pista (Neeroeteren), era um clube local que fazia muito pelo desporto. Quando eu estava a ganhar, eles estavam todos lá (políticos), dois anos depois fecharam o circuito. Acabou. Eles podem tirar aquela estátua se quiserem, mas só têm de trazer de volta a pista de motocross”.

Com estes problemas crescentes que afetam o desporto belga há, sem dúvida, uma enorme pressão sobre os pilotos mais novos. Joel Smets, 5 vezes campeão mundial, também parece preocupado com a falta de jovens talentos e quer desesperadamente que Liam Everts esteja à altura do desafio.

“Há mais de uma década que estamos à espera de um novo Campeão do Mundo e não parece que vá acontecer tão cedo. Além do Jago (Geerts), só resta o Liam. É por isso que nós, belgas no paddock, apoiamos o Liam porque queremos muito que ele se seja bom e ganhe campeonatos.”

Para além da questão do desaparecimento das pistas de motocross, a audiência também tem vindo a diminuir. “As pessoas na Bélgica estão a ver muito menos Motocross do que na altura em que eu e o Stefan competíamos. Neste momento não temos essa super-estrela”, afirmou Smets.

(Foto: Knack.be)

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!